******************

 

“A constatação foi feita pela a equipe do Corpo de Bombeiros”

Escolas da rede municipal e estadual de ensino, além de muitos órgãos públicos, por força de Lei, estão sendo vistoriadas pela equipe de atividades da Diretoria de Serviço Técnico (DST) do Corpo de Bombeiros de Ji-Paraná. Essa inspeção é feita em todos os 52 municípios rondonienses e tem como principal objetivo oportunizar mais segurança para estudantes e servidores de forma geral, prevenindo assim, grandes tragédias como vem sendo registrado nos últimos anos no território nacional. Informou ontem o capitão BM e diretor, Annelsandre Rodrigues Costa. O prédio do Poder Legislativo (Câmara de Vereadores) é um dos órgãos que não conta com o Projeto de Prevenção de Combate á Incêndio e Pânico (PPCIP).

Escolas

De acordo com o capitão BM Rodrigues Costa, a Lei que obriga a instalação do Projeto de Prevenção e Combate à Incêndio e Pânico (PPCIP), entrou está vigorando desde 2016, Lei 3.924 do Código de Segurança do Estado. Ela determina através da instrução normativa técnica o Regulamento Estadual de Proteção Contra Incêndio e Pânico estabelecendo as medidas de segurança contra incêndio e pânico nas edificações e áreas de risco, mais, a falha é visível na maioria dos prédios públicos, em razão da maioria ter sidos construídos há muitos anos, alguns há décadas. “Agora, todos precisam se adequa às novas exigências”, alertou Rodrigues Costa.

Ainda de acordo com Rodrigues Costa, em Ji-Paraná as escolas da rede municipal estão bem adiantadas, grande parte já com os projetos em andamento, buscando atender as normativas da referida lei. Duas delas, até esta última semana, Centro de Ensino de Jovens e Adultos (Ceeja) e Marcos Bispos seriam as mais problemáticas. Na sexta-feira, o Ceeja foi liberado, e o Marcos Bispo ainda precisa de uma nova inspeção. “Caso as recomendações, mínimas, não sejam atendidas, o risco da unidade de ensino ser interditado é eminente”, afirmou. Das Rodrigues Costa ainda informou que das 1.230 escolas do estado, somente 28 delas apresenta o projeto PPCIP que estariam em andamento de execução. Esse plano de combate e prevenção a incêndio e pânico somente é aplicado para ambientes acima de 750 metros quadrados.

Câmara de Vereadores

Já no Palácio Abel Neves (Câmara de Vereadores) de Ji-Paraná, a equipe técnica chegou ao imóvel através de denúncias do suposto dano na fachada, feita de placas de vidros. Além desse problema, constatado, também ficou certificado a falta do PPCI, sinalização de saídas de emergência, extintores e Laudo Elétrico e Estrutural (LET). O prazo para atender as recomendações foi de 30 dias, e o diretor do Departamento Administrativo, Marcio Barbosa garantiu todas as falhas serão corrigidas.

Autor:

Diário  da Amazônia