A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) uniram forças para arrecadar alimentos para os programas e parcerias que prestam ajuda às pessoas em situação de vulnerabilidade social em Ji-Paraná. A ação foi realizada na última semana durante os “drive-thrus” da campanha de vacinação contra o novo Coronavírus (Covid-19).

Durante a campanha de vacinação, que segue esta semana, as pessoas que quiserem e puderem colaborar com a ação solidária poderá levar alimentos não perecíveis que fazem parte das cestas básicas distribuídas às famílias, como arroz, feijão, macarrão, óleo, molho de tomate, leite, fubá, farinha, entre outros produtos alimentícios. Nos dois “drive-thrus” realizados na quarta-feira (28) e no sábado (1º) foram arrecadados 185 quilos de alimentos não perecíveis.

Não é obrigatório

“A doação de alimentos não é obrigatória, doa quem quiser e puder. Todos nós estamos passando por um momento difícil, mas existem pessoas, famílias inteiras que passam por dificuldades ainda maiores. Por isso contamos com a solidariedade da população ji-paranaense durante a campanha de vacinação contra a Covid-19”, explicou Alinny Rezende Santos Ferreira, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde da Semusa.

O secretário de Saúde, Ivo da Silva, destacou essa parceria entre as secretarias municipais em prol da saúde e da assistência social da população do Município.

“Foi um pedido pessoal do prefeito Isaú Fonseca (MDB) para que todas as secretarias se unam nesse momento difícil de pandemia, com foco principalmente na saúde da população de Ji-Paraná”, lembrou Ivo.

De acordo com a titular da Semas, Ana Maria Santos, todo alimento arrecadado durante a campanha de vacinação está sendo utilizado na montagem das cestas básicas destinadas às famílias em situação de vulnerabilidade social.

“Por causa da pandemia, muitas famílias cujos provedores não sobreviveram à doença ou estão desempregados ou mesmo tiveram que mudar de emprego ganhando menos do que ganhavam antes estão passando por sérias dificuldades financeiras e necessitam muito dessa ajuda”, concluiu Ana Maria. 

Autor:

Assessoria